sexta-feira, 8 de maio de 2015

casca

minha arrogância
eu a sinto diariamente
e fico feliz quando consigo escondê-la –
principalmente de mim mesmo.

minha arrogância
eu a disfarço por meio da timidez:
bicho acuado de cabeça baixa e olhar superior,
incapaz de abrir-se ao novo.

minha arrogância
eu a herdei de meu pai
numa tentativa inconsciente
de me manter próximo a ele.

minha arrogância
eu a alimento através da ironia
duas armas com as quais me defendo  
daquilo que não quer me atacar.

ítalo puccini 

Um comentário:

Regina Carvalho disse...

Descubro que minha arrogância se assemelha... beijinho, querido!