terça-feira, 11 de novembro de 2014

tudo dói, caetano

faço nascer em mim um câncer,
instante no qual
ao outro não perdoo:
exímio rancoroso que sou. 

faço desse sentimento
um sinônimo da arrogância - 
momento em que estufo o peito
e empino o queixo

para mostrar
a inexistência, em mim, da dor:
mentira que alimento diariamente.

ítalo puccini



Nenhum comentário: