terça-feira, 8 de novembro de 2011

De músicas e de gentes

E de outras coisas todas que vivemos.
Foi Jozi quem me apresentou uma cantora de São Paulo, de voz doce/suave (parecem-me sinônimos essas duas palavras, neste contexto) que canta músicas calmas com letras ora cotidianas, ora amorosas, ora naturezas. Tiê. Nome de um pássaro. Nome próprio, não artístico, da cantora dos cd´s “Sweet Jardim” (2009) e “A coruja e o coração” (2011).
            Peguei pelo som, grudei, e agora não solto mais. Tem-me acalentado. Tem-me preenchido. Tem-me feito companhia. Tem-me feito silêncio. Tem dormido comigo todas as noites. Tem me levado a dançar. E a querer dançar. E Jozi tem me ensinado a dançar, veja só.
            Música ajuda a silenciar também, não?
            Ouvindo Tiê eu cheguei à Evelyn, que também a ouve, que também a sente, que também. Vive lendo meus escritos, gostando deles, vê se pode?!
            Uma pessoa leva a uma cantora, a uma música, que leva a uma outra pessoa, que leva.
            E foi Philipe quem me trouxe o novo trabalho da Adriana Calcanhotto, “O Micróbio do Samba”, um cd de doze músicas muito sambísticas e de letras que apresentam várias possibilidades de términos de relacionamentos. Pode doer, mas não parece doer. É como eu e Edu conversamos, músicas que propõem desencontros com batidas tão encontros.
Cd este que agora vive a me deixar a sorrir, como diz a primeira música do cd, que muito me lembra a história narrada pelo personagem Boris em “Tudo pode dar certo”, do Woody Allen. Uma música e um filme que apresentam o acaso em seu estado puro: aquilo que ainda bem existe e ainda bem não avisa quando chega. Nem quando vai embora.
            Uma música que leva a um personagem, a um filme, a uma música, a umas gentes.
            “Pode se remoer”, uma crônica de mim para vocês. Para nós todos.
“Assinado eu”. 

ítalo.
(também postado aqui)


2 comentários:

Cynthia Lopes disse...

Caramba, no final deu samba e encontro!
bjs

Maria Flor disse...

muito bom isso! também conheci tiê e sua voz "doce/suave" e agora sairei daqui com um álbum e um filme. Muito legal esse efeito cascata de música e gente.
Gostei do blog! Parabéns!