quinta-feira, 6 de outubro de 2011

poema pra dentro


fiz da solidão
morada.

casa de concreto
em quadrado,

formato em que
não me cabem
cantos

ou contornos.

exercício de endurecer
por força da vida.

í.ta**

(também aqui)

2 comentários:

Lara Amaral disse...

Ótimo, Ítalo, adorei o poema!

Beijo.

Cynthia Lopes disse...

mas, por favor,
sem perder a ternura, ok?
beijão