domingo, 2 de janeiro de 2011

seleção de títulos


para quem é ligado em literatura. e em futebol. ou nos dois. ou em nenhum dos dois.
afinal, essa coisa de estar ligado/desligado é tão clichê quanto estas linhas introdutórias.
_ _ _ _ _ 

A Seleção Brasileira volta para casa – e a nossa vida começa a apontar para o norte do normal. Terrível blogar em dias de Copa do Mundo: a gente não está a fim de escrever e o mundo não está a fim de ler, torcendo para que os jogadores estejam a fim de alguma coisa. De qualquer modo, creio que eles terão uns dias de folga pela frente. Se fossem dados à leitura, poderiam ganhar da CBF livros com títulos personalizados – inspirados e inspiradores. Tem um para o Dunga também:
JÚLIO CÉSAR: O Buraco na Parede, Rubem Fonseca. Companhia das Letras.

GOMES: O Poste de Vapor, Ferenc Molnár. Cosac Naify.
DONI: Invisível, Paul Auster. Companhia das Letras.
———–
DANIEL ALVES: Fogo Pálido, Vladimir Nabokov. Companhia das Letras.

MAICON: O Inocente, Ian McEwan. Companhia das Letras.
GILBERTO MELO: Zero, Ignácio de Loyola Brandão. Global.
MICHEL BASTOS: Fogo Morto, José Lins do Rego. José Olympio.
——-
JUAN: Senhor Vai Entender, Claudio Magris. Companhia das Letras

LÚCIO: O Bom Soldado, Ford Madox Ford.  Alfaguara.
LUISÃO: Andando na Sombra, Doris Lessing. Companhia das Letras.
THIAGO SILVA: O Cavaleiro Inexistente, Italo Calvino. Companhia das Letras.
———-
GILBERTO SILVA: O Náufrago, Thomas Bernhard. Companhia das Letras.

JOSUÉ: O Inútil de Cada Um, Mário Peixoto. 7Letras.
FELIPE MELO: Junta-Cadáveres, Juan Carlos Onetti. Planeta.
RAMIRES: É Difícil Encontrar um Homem Bom, Flannery O’Connor. ARX.
JÚLIO BAPTISTA: O Homem Sem Qualidades, Robert Musil. Nova Fronteira.
ELANO: Homem em Queda, Don DeLillo. Companhia das Letras.
KAKÁ: O Santo Sujo, Humberto Werneck. Cosac Naify.
KLÉBERSON: O Estrangeiro, Albert Camus. Record.
———
ROBINHO: Diários de Bicicleta, David Byrne. Amarilys.

LUÍS FABIANO: Ilusões Perdidas, Honoré de Balzac. Estação Liberdade.
NILMAR: O Pequeno Príncipe, Antoine de Saint-Exupéry. Agir.
GRAFITE: Memórias de Adriano, Marguerite Yourcenar. Nova Fronteira.
———
DUNGAAbraçado ao Meu Rancor, João AntônioCosac Naify.

_ _ _ _ _ 
também no ópio do povo.
e aqui a postagem original do almir de freitas.

í.ta**

6 comentários:

Assis Freitas disse...

muito criativo, a seleção de livros ganha de goleada da seleção de futebol,


abraço

Moni. disse...

hahaha
Muito bom!
Morri de rir com o do Felipe Melo!

Super criativo!

;-)

Wilson Torres Nanini disse...

Ítalo,

se os monstrengos da seleção tivesse a sua criatividade, não haveria Holanda ou Espanha que nos aniquilasse.

Vc acerta o chute e eu sigo torcendo para que novos esquemas táticos nos devolvam a delícia típica do futebol brasileiro.

Abraços!

Larissa Santiago disse...

ahahhaha
bacana a ideia

beijos

S. Outono disse...

Desejo um 2011 repleto de realizações, amores, conquistas e muitos sonhos. O que de melhor existir é o que te desejo sinceramente todos os dias do ano.
Beijos e folhas,
Simplesmente Outono.

Jozi Elen Fleck disse...

Senti na tua criatividade uma ironia muito literária.
Tu és demais!
Querido!!!
Abraços,
Jozi
O Lugar das Cores Escritas