domingo, 12 de dezembro de 2010

em branco


































"(...) quanta coisa está contida numa página não escrita, numa não página, de um não livro. Afinal, o branco é a soma de todas as cores. As possibilidades são infinitas".

heloisa seixas,
"uma ilha chamada livro",
ed: galera record, 2009,
p. 109

p.s.: textos para participar do concurso de narrativas curtas estão valendo até o dia 15 de dezembro. como participar, aqui

í.ta**

3 comentários:

Eduardo Silveira disse...

ahhhh, tentei deixar um comentário em branco, não rolou ;P

tabelinha:

"Lugar onde se faz/o que já foi feito,/branco da página,/soma de todos os textos/
(...)

Nunca houve isso,/uma página em branco./No fundo, todas gritam/pálidas de tanto."

do poema "plena pausa", leminski.

me lembrei da da s. orthof dando 4, 5 (ou era mais?) páginas em branco pros leitores se divertirem.
tem um poema do Augusto de Campos, todo em branco, por duas (três?) páginas. Só o título, "Luxo".
boa divagação.

Assis Freitas disse...

contidos e incontidos,


abraço

Vanessa Souza Moraes disse...

Não se inscreve tudo.