quinta-feira, 11 de novembro de 2010

sobre o congresso

sobre o 6° sel (seminário educação e leitura), escrevi já aqui no blog do prolij.

mais um cadim agora, então...

aqui em ponta negra - bairro de natal/rn - é tudo tão perto que do hotel onde estou para o hotel do congresso são míseros cem metros. e do hotel do congresso para a praia, outros cem metros. eis o perigo, ok?!
hoje apresentei meu trabalho, "o texto literário e os sujeitos-leitores: proposição de círculos de leitura", fruto das duas últimas pesquisas que realizei na univille (2009 e 2010, com a proposição de grupos de leitura com participantes diferentes - um deles pode ser conferido no blog do círculo de leitura, aqui).

ocorreu tudo bem durante a apresentação. na mesma sala que eu, apresentaram-se outros pesquisadores, com trabalhos muito bons refletindo sobre a lida com a literatura em sala de aula.
fui novamente o último a apresentar, assim como fora em campinas, ano passado. e é algo que eu acho muito bom, ficar por último assim, porque o povo começa a sabatinada de perguntar com quem acabou de apresentar, o que possibilita uma conversa mais abrangente e explicativa sobre aquilo que foi apresentado.

hoje se encerraram as apresentações dos grupos de trabalho (gt´s) do congresso. amanhã pela manhã tem as duas últimas mesas-redonda, e então o encerramento. 

consegui assistir a bons trabalhos por aqui, bem estruturados, e que possibilitam um repensar sobre o leitor e o texto literário (foi esse meu foco de estudo). isto é o melhor de participar de congressos. acompanhar o que vem sendo produzido e pesquisado atualmente em sua área. 

incomoda-me, ainda, os míseros dez minutos de apresentação dos trabalhos. é tempo pouquíssimo para que uma pesquisa (ou até mesmo recortes de pesquisas) seja apresentada. ficam burcados, obrigatoriamente. eu até gosto do que é incompleto, do que fica "no ar e tudo o mais. porém, quando essas incompletudes são muitas, não gosto, não. e por mais que tentemos apresentar o que há de principal na pesquisa que fizemos, há informações que precisam ser contextualizadas, senão corremos o risco de fragmentar em demasia o trabalho, o que, é claro, prejudica qualquer possível compreensão. e em todo congresso de que participo, é assim. quem apresenta corre contra o tempo. dizem os organizadores que não há como ser diferente. então tá. mas que prejudica, prejudica.

encontrei também uns livros lá pelo congresso. mas vou deixar para decidir se compro algum ou não somente amanhã pela manhã, pois é costume dos livreiros diminuírem os preços dos livros no último dia, para tentar vender o que ainda não foi. o risco, para quem, como eu, deixa para comprar assim, é não mais encontrar por lá alguns títulos, já adquiridos por outras pessoas. mas quando o dim-dim é pouco, não há muito o que fazer de diferente.

ítalo.

Um comentário:

Aninha Kita disse...

Não sei definir se é seu jeito leve e empolgado de contar ou mesmo o assunto, mas me deu uma vontade de me envolver e participar de congressos e pesquisas assim. Mesmo, forte.

Aproveite mesmo e compartilhe o que for possível conosco, outros amantes da linguagem e da literatura.

Abraços!
Ana