quinta-feira, 9 de setembro de 2010

outro poema

este, do jb,
excelente poeta. 


"Profecia


A noite abre as pernas devagar
Arreganhando no céu
A nudez negra da perdição


No profundo das horas
O lobo uiva suas porras
A madrugada orgasma


O arrependimento acordará cedo
Não fará a prece da manhã
A dar tempo para aquecer o café
E vestir a pele limpa dos cordeiros


À tarde, no pasto, morrerá".
_ _ _ _ _ 
í.ta**

2 comentários:

Assis Freitas disse...

forte e muito bom, como café bem quente,


abraço

Eduardo Silveira disse...

Muito bom!
Hoje mesmo (aula da Rosana), num momento de leitura (aula sobre gêneros! :P), peguei para ler "Cordoames & Cordalhas", uma reunião de poemas do Grupo Zaragatas. O João Batista está lá, e seus poemas forsm os que mais gostei(estes e os do Rubens e mais um da Ramone Abreu Amado - um só que gostei muito, pois o resto de seus poemas... não curto muito.)
mais um pouco de poesia é sempre bem-vinda.

Abraço!