sábado, 27 de março de 2010

seriam 50 anos, hoje


Neste dia 27 de março de 2010 completaria 50 anos de vida, se vivo fosse, o líder e vocalista da Legião Urbana, e também compositor, Renato Russo. Acredito que desde 1997, muitos são os fãs que sentem de maneira forte a ausência de um ídolo de uma geração, porém, neste ano de 2010, como seria o aniversário de 50 anos do músico, o murmurinho em cima disso está consideravelmente maior.
________
Sei que o Serginho Groisman fará uma homenagem ao Renato Russo em seu programa na TV Globo, o “Altas Horas”. Parece-me que estarão por lá, tocando juntos pela primeira vez desde o fim da Legião, Dado Villa-Lobos e Marcelo Bonfá. E também sei que a Editora Record lançará hoje mesmo, dia 27, no Rio de Janeiro, um livro de contos chamado “Como se não houvesse amanhã”, organizado por Henrique Rodrigues, no qual haverá vinte contos de vinte escritores do país, baseados em músicas da Legião Urbana. Inclusive, o Carlos Henrique Schroeder, escritor residente aqui em Jaraguá do Sul, faz parte deste livro, e estará lá no Rio no lançamento (até onde sei, em abril, não sei ainda em qual dia, haverá o lançamento deste mesmo livro na Livraria Livros & Livros, em Floripa. Neste, tentarei ir).
________
Enfim, algumas homenagens póstumas que reascendem ‘inda mais toda a admiração e o respeito devotados àquele que é, ainda, um dos maiores nomes da música brasileira.
_______
Inclusive, o fato de as músicas da Legião fazerem sucesso 14 anos após o fim da banda levou-me a pensar no porquê disso, no como isso ainda acontece. Daí que me veio uma ideia: as composições do Renato Russo foram se tornando cada vez mais líricas. É fácil de perceber isso ouvindo, por exemplo, o primeiro disco da banda, “Legião Urbana” e o disco cinco, o “V”, ou até o sombrio “A tempestade”, sétimo disco. E, sabemos, o texto lírico é atemporal. Daí um porquê de até hoje as músicas compostas por ele continuarem na boca do povo. Sem contar aquelas que ficaram quase que já no inconsciente coletivo de tanto que são tocadas, como “Será”, “Eduarda e Mônica”, “Faroeste Caboclo” e “Pais e filhos”. Inclusive, há quem já muito ouviu e curtiu Legião, e diz que hoje não gosta mais das músicas porque cansou de ouvi-las. Então, diria eu, que ouvidinhos sensíveis à repetição. Ou que limitação. Pois o universo de composições do Renato Russo permite que ouçamos por mais 50 anos e que, a cada vez, possamos estabelecer novas leituras às letras.
________
Taí outro ponto chave nas composições do cara. As referências que não se acabam nunca. Uma letrinha singela como “Eduardo e Mônica”, por exemplo, contém referências das mais variadas: Godard (cinema), Van Gogh e Bauhaus (artes plásticas) Bandeira e Rimbaud (literatura), Caetano e Os mutantes (música). E na música “Monte Castelo” é possível encontrar versos de Camões, poeta português: “O amor é o fogo / Que arde sem se ver / É ferida que dói/ E não se sente / É um contentamento / Descontente / É dor que desatina sem doer”.
________
Já escrevi aqui outras vezes sobre algumas músicas da Legião. Já postei letras, imagens e afins. (aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui). E também já fui um fã muito mais ardoroso. Era daquele que brigava em discussões para fazer a pessoa enxergar o quanto o cara foi bom pra cacete. Coisas da juventude. Se me arrependo? Nenhum pouco! São fases pelas quais eu precisava passar. Dias e dias ininterruptos só ouvindo toda a discografia da Legião, sem contar os cd´s solos lançados pelo Renato.
__________
Hoje, não. Hoje sou muitíssimo mais contido. Malemal falo dessa minha adoração pelo cara. Não vale à pena. Há tanta gente sem o mínimo de capacidade de dialogar sobre opiniões diversas, que faço questão de me manter calado quando tocam nesse assunto. O tanto de que gosto e admiro esse músico e todo o seu trabalho é algo muito, muito pessoal. Algo que não deve tentar sequer ser explicado. Ou respeitam e aceitam isto, ou não temos conversa. Diz o ditado que gosto não se discute; lamenta-se. Às vezes, creio muito nisso. Este é um caso. Não me importam ouvir os motivos que levam alguém a odiar profundamente as músicas da Legião. Eu gosto, e ponto final. Eu me sinto bem as ouvindo, e ponto final. Eu não faço questão de compartilhar com ninguém essa adoração, e ponto final. Há uma necessidade de exposição hoje em dia que contamina tudo. Não basta se encantar por algo. É preciso escancarar que “eu demonstro gostar mais disso do que você gosta”. Aí é que a confusão se estabelece.
___________
Faço este post com os dois pés atrás. Mas faço. Porque de tanto guardar para mim toda essa admiração, creio que é neste meu espaço que tenho a liberdade necessária para deixar clara uma admiração que ultrapassa os limites da razão. E que dificulta até na escrita de um texto como este. E nada melhor do que aproveitar a maré, não é mesmo? Então, já que hoje se comemora pelo país esse aniversário de 50 anos do Renato Russo, ficam aqui minhas palavras sobre um alguém de quem não canso de ler, muito menos de ouvir, porque vai ter uma voz com essa potência lá na pqp. E vai transbordar sensibilidade e inteligência assim, lá também, faz favor.
__________
Escolher uma música, uma só, da Legião, é um tiro no pé. Mas eu deixo abaixo o vídeo (regininha quem me ensinou a postar vídeos!!) da música “Giz”, que é a música de que a Nice, minha noiva, mais gosta. E, como ela ama e conhece Renato Russo e Legião Urbana muito mais do que eu, ela merece isto (a foto é do pezinho dela. Tatuagem de um verso, "Teu espírito alegra minha mente", da música “Uma outra estação”, composta pelo aniversariante do dia).
________

í.ta**

10 comentários:

Eduardo Silveira disse...

Primeiramente, aviso que vc vai passar adiante esses segredos do blogger: em breve te perguntarei sobre como botar videos aqui, pois ainda não sei =(
Bem, e quanto ao Renato, nem sabia da data comemorativa. Dia desses escrevi sobre ele e o Raul (lembro-me que vc passou por lá), que são os dois grandes nomes do rock( mais o cazuza,3). Tá, tem as bandas, mas solo, acho que são esses, se não cometo alguma injustiça.
Enfim, Renato é ótimo. Conheci-o tardiamente, de modo que não tive essa fase de ouvir todos os discos. mas sou fã. É um letrista genial, sim, e isso não é tietagem. Muitos dão a ele (e aos outros 2 citados) aquela alcunha de "poetas do rock", pela carga de lirismo citada por vc. Não são poetas, é claro, suas composições se editadas como livro de poemas, soariam medianas. São "poetas' do rock, da música, a seu modo. Foram caras inteligentíssimos e sensíveis (daí essas ligaçoes que você aponta, e que acho ainda mais forte no raul - esse, sim, sou fã E nesse caso é mais forte, pois foi com meu pai que aprendi a gostar dele, daí a razão da tietagem ^^)
Mas o papo é legião, é renato.
Pobre da atual geração, que se alimenta dessas POPcarias musicais de hoje (um ou outro se salva), e sorte daqueles que se voltam pra essa turma de décadas atrás.
Post nostálgico, acho que vou lá ouvir Legião. Como se´mpre, estou me estendendo em seu blog, mas preciso falar das minhas favoritas. Tem dois covers que o Renato fez, que ficaram melhores que o original: "The Last Time I saw Richard", de J. Mitchell e "Gimme Shelter", dos Stones. Minha favorita é "Eu sei"...mas potz, tô lembrando de outras clássicas...esse Giz, Pais e Filhos, ha. Vou-me embora ouvir legião.
E é isso aí, eu sugeri uma lanchonete, mas a Mônica queria ver o filme do Godard. Fazer o quê. É da vida, meu velho.

Abraço!

Léo Santos disse...

Pra mim que nasci em 81 e pude curtir bastante o Legião com o Renato ainda vivo, fica uma sensação de alegria quando vejo que o som daquela época consegue chegar aos ouvidos da gurizada do século XXI com bastante intensidade, eles gostam, mas não entendem tanto quanto a gente que viu tudo acontecer. Renato Russo e sua Legião Urbana fizeram o que há de melhor no rock nacional!

Um abraço!

G. F. Busnardo (Gui) disse...

Das bandas nacionais, legião é a minha favorita. A primeira música que escutei deles foi será, num CD velho do meu pai. Daí, não parei mais.
Ainda me lembro daquela aula (acho que em 2007) na qual vc levou algumas letras de músicas da legião. Aquelas aulas para mim, estão entre as melhores que tivemos contigo nas aulas de literatura. Foi mt bom discutir com o pessoal as letras e tudo mais.
Assim, não entendi lá mt bem o que sentido lírico das letras significa, mas acredito que legião continua viva até hoje porque mesmo depois de tanto tempo, suas músicas continuam atuais. retratam o país e a sociedade de uma forma sem igual.
Renato russo, pra mim, é o melhor compositor brasileiro.
Gostaria de ter nascido alguns anos antes. Para ao menos tentar ir num show da legião ou algo parecido.

Valéria C. disse...

eu também gosto muito do legião, ppte da figura do renato e nem desejo, nem preciso, seja explicar o pq, seja que os outros gostem tb... sua música me tocou, como tocou a outros tantos e a quem não tocou...pq questionar? nué?
eu não concordo com o ditado, penso que gosto se respeita o do outro e se pede respeito ao nosso..
sei que um dos momentos mais gostosos que vivi foi um show deles e isso tá bem bom pra mim..
beijo moço

Nydia Bonetti disse...

Deixou saudades e um legado que é para sempre. Abraços, Ítalo e bom final de domingo!

A Moni. disse...

"(...)Disciplina é liberdade, compaixão é fortaleza, ter vontade é ter coragem(...)"

Merecido post. Fomos todos contaminados pelo poeta Renato Russo. Que bom.

Pena que os bons parecem mesmo ir cedo. Devem ter mais o que fazer.


P.S.: Saudade também de postar. É um tempo necessário. Que seja breve.

Beijos, querido!

Sylvia Araujo disse...

Ele ainda me afaga os cabelos quando a minha vida insiste em virar lago. Me planta a revolução no fundo do peito e me dá um pontapé certeiro no traseiro, gritando: se mexe! E eu mexo, porque é de vida que eu vivo. E disso ele falava como ninguém.

Bela homenagem, Ítalo.

Meubeijopravocê

Michele Andrea Mondek disse...

Muita coincidência...estávamos, eu e a Gi (uma moça do trabalho) ouvindo e discutindo Legião no enrolation da sexta feira. =)
A discussão foi o porquê das músicas dele ainda serem atuais e servirem para nosso cotidiano hoje, da mesma formas que serviu a 20 e poucos anos atrás.
Quando ouço as músicas ainda sei cantá-las decor (junto ou separado? =) ).
Adoro Legião e obrigada pelos esclarecimentos no texto!
Excelente por sinal!

Boa semana pra ti.

Michele Andrea Mondek disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Crislaine Almeida disse...

Muito bom o seu texto!! Muito mesmo. Parabéns!!