sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

em defesa do romance, por mário vargas llosa

há mais de mês já, encontrei, em um dos blogs do eduardo (qual blog, agora não me recordo), este texto do mário vargas llosa. um texto longo, é verdade, mas muito interessante para pensarmos a literatura e sua importância para o ser humano.
______
deixo aqui a frase que serve como "apresentação" do texto. aquilo que, em linguagem de texto de jornal, se não me engano é chamado de "lide". há o link para o texto completo, aqui.
_ _ _ _ _
____
Incivilizado, bárbaro, órfão de sensibilidade e pobre de palavra, ignorante e grave, alheio à paixão e ao erotismo - um mundo sem literatura teria como traço principal o conformismo, a submissão dos seres humanos ao estabelecido. Seria um mundo animal.
____
_ _ _ _ _
í.ta**

2 comentários:

Eduardo Silveira disse...

pois é ítalo..

quando li a lide (deve ser isso msm, lide) fiquei encantado, e quando vi que o autor era o Llosa, tive certeza que tratava-se de um grande texto. Adorei ele. Guardo ele aqui, pois acho-o muito interessante. Certamente voltarei a esse texto mais para a frente. Apesar de não existir nenhum movimento contra o romance, o título de Llosa faz muito sentido. Não há uma política contra o romance, no entanto, com tantos best-sellers, o romance (mas o romance mesmo) está se tornando leitura de menos pessoas, quando deveria ser o contrário.
Por reafirmar o papel fundamental que representa a leitura em nossas vidas, esse texto merece uma leitura cuidadosa.

abraço!

Regina Carvalho disse...

Sou fã ardorosa do Vargas Llosa,mas não concordocom esta observação: mesmo com literatura, vivemos num mundo animal. Afinal, somos animais,e como afirma Tom Jobim,animas daninhos.A arte nos dá grandeza, mas são muito poucos os artistas,infelizmente.
E Edu: é lide,mesmo, a palavra,mas é masculina, o lide.
bj