terça-feira, 1 de setembro de 2009

para além do hábito de ler

publiquei artigo, hoje, no jornal "hoje",
que circula em jaraguá do sul e região.
o título do artigo é o título do post.
_ _ _ _ _
Para além do hábito de ler
__
É sabido que o ato de ler comporta diversas práticas em nosso dia-a-dia. Lemos desde imagens e frases em outdoors, passando por gestos e expressões, até chegarmos à leitura do texto escrito, estando este em jornais, em revistas, na internet, e em livros, para citar os exemplos mais disseminados.
Tenho lido muitos textos, e até ouvido muitas opiniões, a respeito do ato de ler e da importância da leitura para o ser humano, os quais ressaltam o quanto devemos criar o hábito da leitura em nossas vidas. Contudo, proponho um repensar a leitura como um hábito, inclusive na ampliação de sua recorrência.
Quando tornamos alguma ação um hábito, significa que passamos a repeti-la com certa frequência, de algum modo até de forma mecânica. O que significa que a ação que se torna um hábito também passa a ser executada como costume, como repetição, como algo rotineiro, da qual pouco se exige um pensar mais atencioso ou elaborado. A leitura como um hábito se configura num ato quase que impensado pelo sujeito, um ato que não exige dele muita atenção, que ele continua realizando sem construir seus próprios sentidos para o que lê, sem ir além do texto.
Diante disso, reafirmo a necessidade de pensar a leitura tão somente como hábito, outrossim como uma prática consciente, imbricada às ações que realizamos diariamente. Pensar a leitura com esse olhar é ir além do que ela oferece. É transgredi-la. É isso o que o ato de ler nos exige. E dentro dessa possibilidade de transgressão está a prática, por exemplo, da leitura em grupos, dos círculos de leitura, que propõem uma leitura compartilhada, uma ação de ler também com os ouvidos, uma criação de sentidos em conjunto com outros leitores. Já temos exemplos de círculos de leitura acontecendo em Jaraguá do Sul. Em livrarias, em escolas. Eu mesmo tenho realizado um círculo com alunos de ensino médio de uma escola particular da cidade. E é de ações assim que precisamos para avançar nos sentidos que podemos construir junto aos objetos simbólicos que lemos.
__í.ta**

2 comentários:

Eduardo Silveira disse...

Parabéns pelo artigo, Ítalo.

A hora que encontrar com vc, vou querer saber um pouco mais sobre as suas práticas de leitura. Parecem projetos bem legais.

Té!

Rubens da Cunha disse...

muito legal Italo,
parabéns pelos textos.