terça-feira, 28 de julho de 2009

o dia da apresentação

por conseqüência do frio que enfrentamos na volta do congresso, no dia anterior, agasalhamo-nos um bocado para ir na terça-feira. azar o nosso! esquentou, e ficamos cheio dos agasalhos, pra cima e pra baixo pelas ruas da unicamp. foi o primeiro dia de comunicações, e foi quando começamos a andar, andar, andar, porque na unicamp nada fica perto de nada.
pela manhã havia uma palestra com uma professora-pesquisadora da espanha. tentei acompanhar, mas me tava difícil demais de entender o que ela falava. aproveitei aquele tempo para novamente vasculhar os livros nos estandes, e fui anotando tudo o que encontrava de interessante. não tinha objetivo de comprar nenhum livro, por questões financeiras, e por já ter em casa o suficiente para dar conta de ler. então fui anotando-os, para futuramente adquiri-los, se ainda necessidade e gosto houvessem.
pela manhã ainda, assisti à mesa redonda “leitura, escola, história”, com a presença do francês jean hébrard, e da maria rita de almeida toledo. achei que não teve nada de mesa-redonda aquilo! cada um falou sobre um tema diferente que estava pesquisando. ou seja, em comum, nada. mesmo assim foi interessante o que cada um deles falou sobre o tema, mesmo que não tornando aquilo uma conversa. e, ao final, consegui chegar perto do francês que eu já tanto lera, conseguindo um autógrafo e uma foto.
à tarde era minha apresentação, na sala 16 do bloco da faculdade de educação. o título da minha atual pesquisa é “a leitura literária no espaço escolar”, em que proponho a realização de círculos de leitura (leitura de textos literários) com turmas de ensino médio em algumas escolas. era no horário das 16h às 17h. então, no horário anterior, das 14h às 15h, fui com leila para assistir a outras comunicações em outros espaços, mas demos o azar de entrar numa sala em que, das cinco apresentações previstas, só duas aconteceram. ou seja, pouco vimos.
fiquei tranqüilo para a minha apresentação. minha orientadora, a prof. taiza, tava presente também, e pedi a leila para fazer algumas fotos. dito e feito. e a comunicação foi super tranqüila! sendo muito elogiada ao final, com as pessoas presentes me fazendo muitas perguntas sobre a pesquisa, sobre as leituras feitas, e me incentivando a persistir nela.
ao final do dia ainda assistimos à fala do inglês peter burke, com o tema “reflexões sobre a história da leitura”. ele falou um português mais claro ainda do que o francês hébrard. bem mais pausado, mas bem mais claro também. e discorreu muitíssimo bem sobre a história da leitura, fazendo um apanhado maravilhoso, e também tocando no ponto das diferentes práticas de leitura. ah, e ele também citou o alberto manguel, o crítico-literário que eu mais leio :)
na volta ao hotel comecei a ler “cartas a um sedutor”, da hilda hilst. lógico que dormi com o livro na cara e a luz acessa. às duas da manhã me acordei, no susto. e aí, sim, descobri o quanto eram coerentes as reclamações das professoras a respeito da barulheira no bar embaixo do hotel. não um barulho de conversa. eram músicas altas, gente cantando mais alto ainda tais músicas, e uma troca de gentilezas verbais e físicas de arrepiar. depois, na manhã seguinte, ainda fiquei sabendo que houvera batida policial no dito bar durante aquela madrugada. mas aí eu já ia longe no meu sono...

í.ta**

Um comentário:

Rosane disse...

Como é bom poder fazer esse tipo de relato. Lembrei-me do que ia escrevendo, enqto estava em viagem na Espanha. Tive, entretanto, o azar de perder esse material, enlameado, molhado e inutilizado pela águas lamacentas da última enchente que entrou em casa. Como já estive no Cole, fiquei feliz e com inveja ao mesmo tempo por sua oportunidade. Não passei por tantos "perigos", e nem sei se aguentaria tão firme qto vc. Parabéns, Ítalo. Sempre buscando satisfazer seus desejos. É difícil reunir tanto escritor bom num só evento. Então... não podia perder! Abraço, Rosane.