quinta-feira, 25 de junho de 2009

Contar histórias multiplica a gente IV

Nós, narradores, sabemos que as histórias têm muito poder. A palavra é poderosa, e basta olhar para os ouvintes enquanto narramos para nos darmos conta disso. Podemos encantar, divertir, fazer sonhar, mas também podemos atemorizar, manipular e coagir. É necessário sabê-lo, porque um conto não é uma arma, nem uma fraude, nem uma chantagem, nem uma liçãozinha de moral, nem um castigo, nem tampouco um sermão. Um conto é afeto e verdade. Nos contos está toda a verdade dos sonhos. Nem mais, nem menos.

Autora: Estrella Ortiz
Livro: Baús e chaves da narração de histórias (org: Gilka Girardello)
Artigo: Ler, interpretar, recitar... (pp. 104-111)
Ano: 2006
p. 107Editora: SESC/SC
_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
Í.ta**

Um comentário:

Jessica disse...

Olá!
Obrigada por visitar meu blog. O seu também é bem joia, muito completo, gostei! *--*
Espero um dia chegar a isso!
=)