terça-feira, 25 de novembro de 2008

de repente, um oi

1ª semana.

Toda noite era mesma rotina. Um oi discreto, tímido. Não, melhor, um oi com medo. Medo de ser rejeitado. Medo da perda, mesmo que posse nenhuma eu tivesse sobre algo. Chegava apressado da rua, respirava de modo ofegante, não me trocava, não ia me lavar, não. Tinha bem claro o que eu desejava fazer. Um oi.
O tempo se encarregara de fincar em mim vivências há pouca sentidas. Cicatrizes no corpo. Marcas de um passado-ainda-presente.
í.ta**

Um comentário:

Í.ta** disse...

um conto.

será aqui postado em quatro posts.
cada post é um trecho do conto, que está dividido em quatro semanas.

há trocas propositais de tempo.

resultado de aulas de semântica :)