quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

O ler 3


"Os leitores de livros, uma família em que eu estava entrando sem saber (...), ampliam ou concentram uma função comum a todos nós. Ler as letras de uma página é apenas um de seus muitos disfarces. O astrônomo lendo um mapa de estrelas que não existem mais; o arquiteto japonês lendo a terra sobre a qual será erguida uma casa, de modo a protegê-la das forças malignas; o zoólogo lendo os rastros de animais na floresta; o jogador lendo os gestos do parceiro antes de jogar a carta vencedora; a dançarina lendo as notações do coreógrafo e o público lendo os movimentos da dançarina no palco; o tecelão lendo o desenho intrincado de um tapete sendo tecido; o organista lendo várias linhas musicais simultâneas orquestradas na página; os pais lendo no rosto do bebê sinais de alegria, medo ou admiração; o adivinho chinês lendo as marcas antigas na carapaça de uma tartaruga; o amante lendo cegamente o corpo amado à noite, sob os lençóis; o psiquiatra ajudando os pacientes a ler seus sonhos perturbadores; o pescador havaiano lendo as correntes do oceano ao mergulhar a mão na água; o agricultor lendo o tempo no céu – todos eles compartilham com os leitores de livros a arte de decifrar e traduzir signos.
(...) Todos lemos a nós e ao mundo à nossa volta para vislumbrar o que somos e onde estamos. Lemos para compreender, ou para começar a compreender. Não podemos deixar de ler. Ler, quase como respirar, é nossa função essencial".

(Alberto Manguel, Uma história da leitura, 1997, pp. 19-20).

Í.ta**

3 comentários:

Ilaine disse...

Ítalo!

Que belas formas de ler - sentir, relacionar, perceber...

Preciso adquirir este livro de Manguel quando for aí.

Abraço

Regina disse...

Tudo é texto, tudo é signo, né?
As pessoas são os livros que mais me atraem,algumas fáceis de ler, outras nem tanto...
Mas são os livros que me têm ensinado como ler as pessoas, como ler o mundo, e AMO isso...
E me ensinam,ainda, como me deixar ler.Maravilha, isso!
beijo,guri!

Edna Battaglini disse...

Olá Ítalo,
Primeiramente venho agradecer as belas palavras depositadas no meu "ninho poético", obrigada.

Gostei muito do seu blog, textos sensatos, esse em especial, onde narra a leitura, muito me encantou, agradeço por citar o autor, irei pesquisar mais sobre o livro.

Acredito eu Ítalo, que a leitura é uma das formas para o
crescimento intelectual, crítico,
além de despertar a sensibilidade,
pena que no Brasil, se formos comparar os índices
de leitores entre nossa população, chegaremos a uma triste conclusão que vamos levar muito tempo para desenvolver a criatividade, sensibilidade e outros atributos que levam um povo ao desenvolvimento pleno, tomamaos como exemplo alguns países da Europa, certa vez tive oportunidade de ler um
artigo sobre a quantidade de livros lidos por indivíduo, fiquei, digamos, fazendo a comparação com o Brasil tão pobre em leitura,
torço muito por essa consciência, colocam a culpa nas disparidades sociais, existem bibliotecas píblicas, as bibliotecas da escola, creio que não justica ao todo o marasmo, enfim, textos como esse, reflexivo, nos lembra sempre dessa problemática toda, e que faremos? são resquícios de uma
colonização alienada...
nos resta divulgar nossa opinião e incentivar um amigo, um vizinho, um colega de trabalho, é pouco, muito pouco, mas melhor que nada.
Um abraço, se me permite irei lincar seu blog nas minhas "paragens especiais"e será um prazer aqui estar.