quinta-feira, 22 de novembro de 2007

primeiros rabiscos em livro

"Agora inútil. O tempo ou ele? O morro ou as antenas? A pessoa ou esforço? Tudo em vão. Ele inútil perante o mundo; mundo útil sem ele. Será? Apenas mais um, zumbi pelas ruas, trôpego entre os canteiros, fantasma à cerração que já esconde a cidade. Assim localizada, entre morros, não precisa muito para que fique encoberta pelo ar parado, rijo, condensado. E quem para contestá-lo? Já se fora. A fuga ocorrida no dia anterior, naquela rodoviária que conhecera nos seus primeiros anos de vida, quando para lá se mudara com a mãe. Aquela rodoviária que agora não mais quer em sua memória, mas para aonde se dirige. Sem perceber, ou sem querer perceber. Lado direito. Lado esquerdo. Vê sua cabeça descer o morro-da-antena. Eu a observá-lo, tão somente".

(trecho da crônica "O que se fora", de minha autoria, publicada no livro "Jaraguá em crônicas", Design Editora, 2007, pp. 51-52. 46 crônicas de 46 autores. 46 diferentes olhares para a cidade de Jaraguá do Sul/SC).

Í.ta**

Um comentário:

Suzana Mafra disse...

Olá!
bem legal sua crônica. Interessante isso de escrever um livro de crônicas sobre a cidade em que se vive. Por pouco não estive aí, no lançamento. O Carlos Schroeder ministrou um curso de contos aqui no SESC, por isso nos convidou. Só se aprende a escrever escrevendo, ainda ontem li isso numa crônica da Clarice Lispector, concordo com ela, os cursos apenas nos motivam e nos apresentam formatos e possibilidades.
Obrigada pela visita ao borboletras.
Beijo!