sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Forças contrárias

O delírio mergulhado no que chamam de real
Ou o contrário

Sou o filho do tempo
Logo mais o filho será meu tempo

Preocupo-me
Meus disfarces são agora poucos
Penso, penso e escolho o mesmo
Que sem graça!

Í.ta**
(de vez em quando arriscando alguns versos. o caminho é looongo, sim, sem dúvida. mas sempre vale tentar e rabiscar mais)

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

primeiros rabiscos em livro

"Agora inútil. O tempo ou ele? O morro ou as antenas? A pessoa ou esforço? Tudo em vão. Ele inútil perante o mundo; mundo útil sem ele. Será? Apenas mais um, zumbi pelas ruas, trôpego entre os canteiros, fantasma à cerração que já esconde a cidade. Assim localizada, entre morros, não precisa muito para que fique encoberta pelo ar parado, rijo, condensado. E quem para contestá-lo? Já se fora. A fuga ocorrida no dia anterior, naquela rodoviária que conhecera nos seus primeiros anos de vida, quando para lá se mudara com a mãe. Aquela rodoviária que agora não mais quer em sua memória, mas para aonde se dirige. Sem perceber, ou sem querer perceber. Lado direito. Lado esquerdo. Vê sua cabeça descer o morro-da-antena. Eu a observá-lo, tão somente".

(trecho da crônica "O que se fora", de minha autoria, publicada no livro "Jaraguá em crônicas", Design Editora, 2007, pp. 51-52. 46 crônicas de 46 autores. 46 diferentes olhares para a cidade de Jaraguá do Sul/SC).

Í.ta**

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Página 161

Rubens da Cunha propôs a minha seguir a corrente já iniciada:

1) Pegar um livro próximo (PRÓXIMO, não procure);
2) Abrir na página 161;
3) Procurar a 5ª frase completa;
4) Postar essa frase em seu blog;
5) Não escolher a melhor frase nem o melhor livro;
6) Repassar para outros 5 blogs.

Eis meu acaso:

"- Eu... eu vim saber da menininha, balbuciou".

(Pollyana, de Eleanor H. Porter. Ed. Nacional, 1992).

A proposta segue para: Guilherme P. Mendes, Pedro, CC, Carmem Luísa, Pablo Morenno.

Í.ta**

O que é o amor?

"se perguntar o que é o amor pra mim
não sei responder
não sei explicar
mas sei que o amor nasceu dentro de mim
me fez renascer
me fez despertar

me disseram uma vez
que o danado do amor pode ser fatal
dor sem ter remédio pra curar
me disseram também
que o amor faz bem
e que vence o mal
e até hoje ninguém conseguiu definir
o que é o amor

quando a gente ama brilha mais que o sol
é muita luz
é emoção
(o amor)
quando a gente ama é o clarão do luar
que vem abençoar o nosso amor"

(música: Arlindo Cruz, Maurição, Fred Camacho.
voz: Maria Rita. cd: Samba meu, 2007).

à menina da lua,
com o amor que não se define.

Í.ta**

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

"A taça do mundo é nossa"

"A grande farsa

São lamentáveis os "homens" que só cresceram no tamanho, são os que chamo de estultos... e são tantos... o assunto, leitora, eu o ia deixar passar. Mas não posso deixá-lo passar em brancas nuvens, como se dizia no Bar São Jorge, na Rua do Acampamento, em Santa Maria.Deixar em brancas nuvens seria de certo modo um ato de indiferença ou covardia: é a tal de Copa do Mundo no Brasil. Antes de mais nada, Copa do Mundo é diversão de bobão, de homem que cresceu no tamanho, mas vá lá, que seja, Copa do Mundo...O que me irrita, leitor, sim, leitor, é que começo a ouvir o que sempre quis ouvir e nunca ouvi, gente metida a sebo, políticos, frívolos de todo o tipo, falando em "modernizar" o Brasil para a distante Copa de 2014. Os frívolos e os do "governico" de Brasília dizendo que vão construir estádios, modernizar muitos deles, melhorar a rede hospitalar, investir em segurança pública, hotéis, tudo. E por que não fizeram isso até agora, por que só estão pensando nessa falcatrua agora com a futura sede da Copa por aqui? Será que o povo não sabe que o Pan-Americano foi um fiasco, que o Brasil só ganhou medalhas de segunda, que os americanos não vieram com sua força, será que ninguém sabe que o tal PAN foi orçado em R$ 800 milhões e "eles", os de sempre, gastaram R$ 3 bilhões e tanto...? E ninguém pediu CPI. Ou então eles que viessem desmentir as cifras citadas pelos jornais, que viessem mostrar as "notas fiscais", todas em originais e sem dúvidas de desvios ou mau uso.E agora essa, a tal Copa. Já ouvi idiotas falando em construir trem bala no Brasil, tudo para a Copa. Não temos ônibus que preste e os caras falam em trem bala, nem sabem o que é isso, trens que andam a 500 quilômetros por hora... Isso é para o Japão, que já resolveu seus problemas sociais.Será que durante essa maldita e distante copa os brasileiros pobres vão ser atendidos nos hospitais ou a turma do governico vai deixá-los continuar morrendo nas calçadas, mas garantindo leitos especiais para turistas e com isso enganar o mundo? Será que desta vez vão mesmo despoluir a Lagoa Rodrigo de Freitas como prometeram, e não cumpriram, antes do Pan-Americano?Estão prometendo um Brasil que os brasileiros operários sempre mereceram e nunca tiveram, agora o prometem para o mundo frívolo do futebol local e internacional. E esses caras vão ficar impunes, prometendo até 2014. E ninguém reage. Queremos o Brasil das promessas futuras hoje, não para o futuro remoto e do futebol. Abaixo os levianos. Abaixo o governico".

(Luiz Carlos Prates, DC 02 de novembro de 2007).

**Nada contra a Copa do Mundo de Futebol no país (ou tudo), mas é revoltante perceber que somente em função disso - e dos estrangeiros, que aqui passarão no máximo um mês - o Brasil passará por uma grandiosa reforma em sua estrutura física e, por que não, social. Mais um exemplo de descaso político para com o próprio povo, que, sem perceber tal enganação, demonstrará novamente um patriotismo falso sustentado em bases igualmente falsas e frágeis, com prazo de validade de trinta dias.

Í.ta**